Arquivo da categoria: Textos

Como deve ser

. Era com um olhar perdido que prestava atenção nas palavras que ele balbuciava. Ela era daquele tipo de mulher que se diz forte demais para chorar na frente de alguém. Mas por vezes, algumas lágrimas ameaçavam cair e entregar … Continuar lendo

Publicado em Contos | Marcado com , , , , , , | 1 Comentário

Esperando

. Estava tudo pronto. No apartamento 302 do edifício Amélia, o rádio portátil tocava um CD do Barry White. Sobre um castiçal de ferro fundido em forma de galhos, havia duas velas acesas que iluminava, à meia-luz, a sala de … Continuar lendo

Publicado em Contos | Marcado com , , , , , | 1 Comentário

Tempo e Contratempo

. Mais conhecido como Beto Bigode, João Roberto ganha a vida tocando numa banda de rock pelos bares da capital. Seu apelido dispensa outras apresentações sobre o guitarrista. A banda, apesar de ter talento, não faz muito sucesso, mas tem … Continuar lendo

Publicado em Contos | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário

Como de costume

. Para variar, Leandro perdeu a hora. Foi dormir tarde no dia anterior e sequer ouviu quando o despertador tocou às 6h00. Isso, de não acordar no horário, acontecia com certa frequência em sua vida. Todos os dias, Leandro acordava … Continuar lendo

Publicado em Crônicas | Marcado com , , , , , | 1 Comentário

Dilema Sentimental

. Aconteceu dele se apaixonar por duas pessoas. Nunca imaginou que isso fosse acontecer. Disseram a ele que o amor é único, que tem aquela coisa toda de alma-gêmea, de ser para sempre e tal… e ele acreditava piamente nisso. … Continuar lendo

Publicado em Contos, Textos | Marcado com , , , , | Deixe um comentário

(Des)conto de Fadas

. Era uma vez… um reino muito bonito! E distante. Vivia ali uma jovem que adorava ir até o bosque e passear entre as árvores observando cada ser, escutar os pássaros cantando e observar o colorido das borboletas. Fazia isso … Continuar lendo

Publicado em Desconto de fadas, Textos | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário

O Plano

. Seus cabelos começaram a ficar brancos quando ainda era muito novo. Aos 35, já vestia uma coroa branca como neve. Por sorte (ou azar) não ficou careca como seu pai, mas raspava sempre, não deixando um fio branco sequer. … Continuar lendo

Publicado em Contos, Textos | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário

O Teste

. Assim que a conheceu, cumprimentou e deu um forte abraço, daqueles difíceis de largar, por um bom tempo. Ela achou estranho demais, mas preferiu não comentar. Ele queria ter certeza. Admitia um cabelo comprado, mas nunca peitos comprados. .

Publicado em Crônicas, Rapidinhas | Marcado com , , , , | Deixe um comentário

O Último Sinal

Era exatamente 19h47min quando José Vicentino de Souza Santos viu, pela última vez, aquele semáforo vermelho se abrir.

Publicado em Crônicas, Textos | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário