O Fim dos Tempos

.

Então, o que fazer?
Nada como lembranças
Nada.

Pensamentos que se passam ao longe
Vida que se reduz a nada
Nada.

Memórias recíprocas do tempo
Nada mais se faz
Nada.

Vozes cavernosas saltam do interior
Nada mais se diz
Nada.

Deserto torto num oásis
Nada mais se vê
Nada.

Figuras repetidas carimbadas
Nada mais de tudo
Nada!

.

Anúncios

Sobre henrique

Quando nada existia... quando tudo era impossível... Em meio ao imenso vácuo deixado pelo mar de coisas... Quando já absorto de fartas esperanças... ... eis me aqui!
Esse post foi publicado em Poesias e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s