Vida de Cão

Confesso: essa é minha favorita.

.

Remendado de durex
Toca o humilde despertador
Às quatro horas da manhã
Começará mais um dia de suor e dor

Acorda já com roupa
De um sono mal dormido
Pois de tão cansado
Dormira vestido

Coloca os sapatos
Lancha seu matinal água e pão
Depois despede-se e parte
Para o ponto do lotação

Meia hora de espera
Chegada a lotação
Ele entra
Empurrado pela multidão.

O ônibus vai sacudindo
E, no meio da confusão
Quase vomita
Sua água e seu pão

Chega no trabalho
Já atrasado
Bate o ponto
Salário descontado

Já não tem forças
Pensando nos filhos para sustentar
Reanima-se
E volta a trabalhar

Era grande seu contentamento
Pois naquele dia
Saía seu pagamento

Garantido o pão
Volta para casa
O salário na mão
Que desaparece

Não,
Não é porque era sonho não
“Pega ladrão”
Grita inutilmente.

.

Anúncios

Sobre henrique

Quando nada existia... quando tudo era impossível... Em meio ao imenso vácuo deixado pelo mar de coisas... Quando já absorto de fartas esperanças... ... eis me aqui!
Esse post foi publicado em Poesias e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s