Cascalho no mar

.

Faróis acesos
Fecham-se portões
Corações presos
Cegas visões

Sou luz sem rumo
Plano sem prumo
É tudo ilusão,
É tudo ilusão

Então me diz
Quem é que vai ficar?
Quando o mundo desabar

É tudo imitação
É tudo imitação

Imitamos a verdade
Pensamos ter saudade
Dizemos ter coragem
Mas não há mais tempo

É tudo fingimento
É tudo fingimento

Fingimos viver
Queremos dizer
A vida toda passa
E não há mais palavras

É túnel pro abismo
Ponte que cai
Rio que sobe
Vida que vai

Então me diz
Quem é que vai dizer?
Nada a fazer, nada a fazer

Então me diz
O que será?
Sou pedra que afunda
Cascalho no mar

.

Anúncios

Sobre henrique

Quando nada existia... quando tudo era impossível... Em meio ao imenso vácuo deixado pelo mar de coisas... Quando já absorto de fartas esperanças... ... eis me aqui!
Esse post foi publicado em Poesias e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s