Vitrine

.

É como querer ter mas não chegar perto
É como querer ficar tendo que partir
Ou como querer seguir mas não estar livre
É como querer tocar e apenas olhar
É como desejar mais que tudo e não mais que isso
É como voar sem ter asas
É como viver e sem nenhuma razão para isso
É estar louco sem saber porque.
É como chegar perto mas nem tanto
É querer andar e não ter pernas
É ter pernas para nunca sair do lugar
É como ser e não saber o quê.
Estar perto e usar binóculos
Andar com sede num deserto
E procurar muito sabendo que não há ninguém
Estar e não ser presente
Passar e não ficar na memória
Ser lembrança sem nunca ter chegado
É querer voltar mas nem ter saído
É como assistir e não fazer nada
É como relembrar sem ter esquecido
É como pensar e continuar sem entender
É como esperar mesmo sabendo ser impossível
É como sonhar sem dormir
Ou como querer dormir mas não conseguir fechar os olhos
É como querer ir mas há algo que o prende
É como estar preso só que sem grades
Ter todo o tempo do mundo e não ser suficiente
É como amar e não ter ninguém

É ser apenas vitrine.

.

Anúncios

Sobre henrique

Quando nada existia... quando tudo era impossível... Em meio ao imenso vácuo deixado pelo mar de coisas... Quando já absorto de fartas esperanças... ... eis me aqui!
Esse post foi publicado em Poesias e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Vitrine

  1. Rogério disse:

    E dá pra ficar dos dois lados!!! lol.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s